Artigos Giro da Notícia

Eugène Christophe: O Ciclista Azarado

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quando você está com a sensação de ter “acordado com o pé esquerdo” ou “viver em uma eterna sexta-feira 13” ou “eu sou um azarado”, estes são alguns ditos populares para aquela falta de sorte em relação a algo que você pode passar pela vida. No entanto, a história do ciclismo mundial apresenta um personagem peculiar: o francês Eugène Christophe.

O francês foi ciclista profissional no começo do século XX, entre 1909 a 1926, a primeira vista pode constatar que ele foi importante no Tour de France, famoso campeonato francês de circuito ciclismo, porque ele foi o primeiro a usar e inventar a “Camisa Amarela” que representa o líder da competição até os dias atuais. Além disso, conseguiu completou oito edições em onze anos do Tour de France, mas nunca foi campeão.

A falta de sorte o acompanhava, mesmo sendo muitas vezes considerado o melhor ciclista da competição. Em 1912, Christophe teria vencido se o sistema fosse por tempo porque a organização ainda adotava o sistema de pontos, mas deixou uma marca que até hoje não repetido por nenhuma outro ciclista no Tour que foi a maior fuga solo de todos os tempos: 315 km. Diante da injustiça do resultado, no ano seguinte a organização adotou o sistema de premiação pelo menor tempo, mas seu companheiro inseparável apareceu novamente: azar e o título novamente escapou do francês. Teria vencido se estivesse no sistema de pontos, mas perdeu porque algo impensável ocorreu.

Eugène Christophe e Philippe Thys, campeão naquele ano, estavam cinco minutos à frente dos demais ciclistas numa etapa mais complicados daquela edição porque as sete montanhas e os 404 km de extensão, quando concluíram a subida do Tourmalet, elevou o grau da competição. Christophe parou no topo, sacou a sua roda traseira e a trocou de lado, para colocar uma marcha mais pesada, porque as bicicletas na época disputada com uma engrenagem de cada lado, conforme a necessidade da subida ou plano. Passados 25 anos deste fato: em 1937, o câmbio traseiro passaria a ser utilizado pela primeira vez no Tour de France.

Comentários