DBike - Revista catarinense de cicilismo | Santa Catarina, 18 de maio de 2024 | Quem somos | Contato

Pedalar faz bem ao Cérebro

Incorporar a bicicleta no seu cotidiano como forma de meio de transporte, atividade de física ou somente para lazer se apresenta como uma boa alternativa para manter organismo saudável. Segundo cientistas, pesquisas apontam que o ciclismo não só exercita os músculos, mas também a parte neuronal do ciclista.

Apenas 30 minutos de ciclismo constante na estrada ou em trilha pode melhorar a memória, raciocínio e planejamento. Também tem benefícios cientificamente comprovados para a saúde mental, ajudando na prevenção da depressão e da ansiedade.

Reação do Cérebro ao Pedalar

Quando pedalamos, o sangue que flui para os músculos aumenta e permite que nossos corpos construam mais vasos capilares assim fornece mais sangue e, portanto, mais oxigênio para os músculos. O mesmo processo ocorre em nosso cérebro.

Além da produção de novos capilares sanguíneos, o ato de pedalar traz outros benefícios como triplicar a produção de proteína para a geração de novas células celebrais e aumento da atividade neurotransmissora auxiliando na cognição.

Nossos corpos melhoram a sua capacidade de regular os hormônios como o cortisol e adrenalina. Isso resulta em uma melhor capacidade de lidar com o estresse. Os desequilíbrios hormonais fazem nossos corpos responder ao estresse de forma negativa, por isso é importante ter uma rotina como andar de bicicleta para permitir que lidem com o estresse mais facilmente.

Recomendação Médica

O ciclismo com muita intensidade pode começar a reduzir a nossa energia conforme os nossos corpos tornam-se empobrecidos de nutrientes. Os cientistas sugerem que de 30 a 60 minutos num bom ritmo. A manutenção de uma frequência cardíaca moderada também auxilia.

Similar Posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.