DBike - Revista catarinense de cicilismo | Santa Catarina, 18 de maio de 2024 | Quem somos | Contato

Manutenção das Ciclofaixas

Buracos na Ciclofaixa Compartilhada da Av. Atlântica na Barra Norte

No ano de 2011, Balneário Camboriú deu pontapé inicial na implementação dos primeiros quilômetros das ciclofaixas compartilhadas por bicicletas, patins, patinetes e skates, além da corrida (sem veículos motorizados). Após sete anos da criação, atualmente o município se encontrada com 32,5 km de ciclofaixas e ciclovias que abrange quase toda o território municipal fazendo a interligação ente os bairros.

A utilização de práticas sustentáveis de mobilidade urbana dentro de cidade turístico que no verão triplica o número de habitantes aliado a pouco espaço territorial traz benefícios tanto para os turistas quando aos residentes fixos. No entanto, ao longo de alguns trechos é visível a falta da manutenção do patrimônio como, por exemplo, falta de pintura adequada ou buracos que colocam em risco os usuários das vias.

Segundo o Fundo Municipal de Trânsito (FUMTRAN), órgão responsável pelo trânsito de Balneário Camboriú, explica, em nota, que está alinhando esforços com a Secretaria de Obras para corrigir os problemas das ciclovias e ciclofaixas do município, e ainda conta com a fiscalização da sociedade civil, através da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú (ACBC), para não deixar a população de fora. “A manutenção da malha viária da cidade (incluindo as ciclovias e ciclofaixas) no que tange a danos físicos é realizada pela Secretaria Municipal de Obras. A manutenção de sinalização é realizada pelo departamento de trânsito após vistoria no local e em acompanhamento com a Associação de Ciclismo do Município (ACBC)”, explica o FUMTRAN.

Similar Posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.